Orientação

Demências e Comprometimento Cognitivo Leve

Por Murilo Zibetti

Demências

As demências (ou transtorno neurocognitivo maior) são doenças neurodegenerativas que normalmente atingem idosos causando prejuízos cognitivos, alterações comportamentais e prejuízo nas atividades de vida diária.  As demências são  classificadas devido às doenças que causam degeneração (lesão)  do cérebro. Para isso o clínico utiliza a manifestação cognitiva típica de cada doença e, quando existem, exames laboratoriais que confirmem.

A doença de Alzheimer é a causa mais comum de demência. As manifestações cognitivas mais comuns da demência devido a doença de Alzheimer são dificuldades de memorizar fatos e eventos novos, bem como, de orientar-se tempo e no espaço. Com o avançar da doença podem surgir alterações de comportamento e dificuldades de linguagem. Preste atenção, lembrar de fatos antigos é possível e comum nesses casos e isso não quer dizer que não exista a doença de Alzheimer. Isso porque são afetadas áreas que auxiliam na formação de novas memórias, mas o acesso as antigas é mantido.

Outro quadro de demência bastante prevalente entre os idosos são os devido a degeneração cerebrovascular. Essa degeneração ocorre porque o cérebro sofre lesões decorrentes neurovasculares e o acúmulo dessas lesões causam alterações cognitivas e comportamentais. A manifestação dessa doença depende das áreas em que ocorrem as lesões.  Mas, algumas manifestações são comuns como lentificação do processamento cognitivo e redução da capacidade atencional devido a perda de conectividade dos cérebro.

Existem ainda outros dois quadros relativamente comuns em idosos. A demência pelos corpos de Levy e a degeneração fronto-temporal. Na demênica por corpos de Levy, os pacientes apresentam dificuldades de memória e uma oscilação do desempenho. Mas, muito cedo, na doença podem apresentar alucinações visuais e alterações na marcha (caminhada), muitas casos são confundidos com doença de Alzheimer. Por sua vez, a demência devido a degeneração fronto-temporal. Trata-se de uma doença que causa lesões no cérebro em áreas que regulam o comportamento e que mantém o conhecimento sobre a linguagem. Curiosamente, esses pacientes não apresentam uma alteração de memória episódica e sabem com o precisão o que lhes aconteceu.  Mas podem se tornar agressivos, hipersexualizados ou então não conseguir dizer o nome de um lápis que está na sua frente.

A avaliação neuropsicológica é fundamental no processo diagnóstico de qualquer uma  dessas demências e muito importante para projeção do tratamento desses pacientes. Na avaliação neuropsicológica são quantificadas as dificuldades como as de memória, atenção, linguagem sendo estabelecido um estabelecido um perfil cognitivo do paciente. Esse perfil, na maioria dos casos, auxilia a detecção do processo neurodegenerativo de base e auxilia no processo de tomada de decisão da intervenção mais adequada. A reabilitação nos estágios iniciais e mais leves envolve a estimulação das funções mentais preservadas e posteriormente auxilio e manejo para os cuidadores.

 

Comprometimento Cognitivo Leve (CCL)

O termo Comprometimento Cognitivo Leve (mild cognitive impairment)  foi criado como um classificação diagnóstica para aqueles idosos que tem desempenho abaixo do esperado nos testes cognitivos, mesmo quando ajustamos os resultados a sua idade e escolaridade. O CCL despertou grande interesse da comunidade científica uma vez que propiciou a detecção de pessoas com prejuízos cognitivos e com alguma probabilidade para o desenvolvimento das demência, particularmente à devido a doença Alzheimer. Pouco mais de um terço dos idosos com CCL são diagnosticados com demência em dois anos após esse diagnóstico, sendo que num prazo de cinco anos metade deles vão ter este diagnóstico.

Para o diagnóstico de CCL é necessário apresentar as seguintes características:   1) presença de queixa sobre o desempenho cognitivo, usualmente de memória; 2) a presença de um prejuízo cognitivo mensurável, usualmente envolvendo memória; 3) resultado de testes de rastreio e nível cognitivo global dentro do esperado e; 4) desempeno preservado nas atividades de vida diária. O CCL ainda pode ser estabelecido como amnéstico (com prejuízo de memória) e não-amnéstico (com prejuízo de outra função, mas não memória). Ainda o CCL pode ser classificado em quantas funções cognitivas estão prejudicadas quando uma única função é prejudicada chamamos de CCL único-domínio, quando mais chamamos CCL múltiplos-domínio. A quantidade de prejuízos e a especificidade são indicadores de qual demência poderia vir ocorrer naquele sujeito.

O diagnóstico de CCL só ocorre diante de uma avaliação neuropsicológica. Os instrumentos que medem o desempenho de atenção, memória, linguagem e outras funções mentais devem apresentar resultados abaixo do esperado, mesmo sem que dificuldade sejam claramente identificadas nas atividades de vida diária do paciente.  Nesses casos, cabe estimulação cognitiva e acompanhamento em reavaliações (semestrais ou anuais) devido a possibilidade de estar em curso da doença neurodegenerativo.

Voltar